História

O padre Domingos Pinto Coelho da Rocha fundou o povoado de São Domingos que, em 1881, foi elevado à freguesia. No ano de 1923, passou a ser conhecido como Vila de Vasconcelos e, em 1928, recebeu o atual nome, Diogo de Vasconcelos, em homenagem ao historiador Diogo Luiz Pereira de Vasconcelos. A emancipação e a elevação a município aconteceu em 30 de dezembro de 1962.

 

A cidade de Diogo de Vasconcelos está localizada ao longo da Estrada Real, aproximadamente a 171 km de Belo Horizonte. O turismo ganha espaço com as belezas naturais, como a cachoeira da Laranja e o casario, cujas construções datam das Décadas de 40 e 50, como a Igreja de São Domingos Gusmão, local de sepultamento do padre Arlindo Vieira.

 

A programação cultural é marcada pelas festas religiosas, como a festa do padroeiro São Domingos Gusmão, atraindo centenas de visitantes. A Fazenda dos Caldeirões é outra atração turística por ter servido como refúgio para o inconfidente Cláudio Manuel Da Costa.

 

O agronegócio é a  principal atividade econômica do município  com destaque para a forte atuação pecuária. A produção artesanal de panelas de pedra sabão, cachaça, rapadura, açúcar mascavo, queijo, requeijão, linguiça suína e cestaria também é responsável por movimentar a economia.

HISTÓRIA DA PARÓQUIA SÃO DOMINGOS DE GUSMÃO

Há quase 100 anos, igreja

marca catolicismo da Pastoral Leste 

A Paróquia São Domingos de Gusmão é admirada pela arquitetura contemporânea e, anualmente, recebe centenas de fiéis de diversas regiões de Minas para a festa do padroeiro. Em 1918, devido à iniciativa do padre Thiago Nathanael, a paróquia começou a ser construída no mesmo terreno da antiga igreja matriz.

No ano seguinte, com muito esforço e apoio da comunidade, um dos grandes símbolos da cidade ficou pronto para acolher os seguidores católicos.  A partir de 1943, as missas passaram a ser celebradas pelo padre Arlindo Vieira, um dos mais importantes sacerdotes brasileiros daquela época. Ele era muito querido pelos dioguenses e, durante 20 anos, foi o responsável pela missa do padroeiro da cidade: São Domingos Gusmão.

Padre Arlindo morreu no dia 4 de agosto de 1963, logo após celebrar a missa de São Domingos Gusmão, falecendo aos pés do altar. Depois de sua morte, vários milagres foram atribuídos a ele. Os fatos históricos tornaram o município um marco religioso e, desde então, milhares de fiéis de dezenas de regiões, se deslocam até a cidade para pedir e agradecer por dádivas ao padre Arlindo Vieira.

Atualmente, a principal festa da paróquia é sempre realizada no 1º domingo do mês de agosto, cuja celebração é uma homenagem ao padroeiro  e a padre Arlindo Vieira Martins. A paróquia São Domingos de Gusmão faz parte da Pastoral Leste e, também, pertence à Arquidiocese de Mariana. Atualmente, as missas são celebradas pelo padre Geraldo Braz de Oliveira.

Pastoral Leste

A região da Pastoral Leste é composta por 33 municípios, incluindo 39 paróquias e três “quase paróquias”. Conforme a Arquidiocese de Mariana, o fortalecimento das foranias e o crescimento da comunhão, o serviço e a missão estão entre as principais conquistas da entidade.

Comments are closed.